sábado, 27 de setembro de 2008

Salve-me de mim, Senhor!

Ufa, mais um mês, cara ...
Mais um de frenesi, de estudo, de trabalhos, de estudo, de obra, de estudo.
E aqui estou eu novamente, pensando como sempre em um monte de coisas que minam da minha cabeça... cabeça que está fervendo continuamente.
E essa semana eu estava pensando: vida louca essa de cristão, né... [com todo o sentido positivo que essa palavra possa ter], mas... ser alguém único, relevante, diferente em um mundo tão cheio de tipos e paradigmas e tendências... é bem complicado!
Segundo a Bíblia, nós devemos brilhar no escuro, salgar o insosso e tal, e por mais que conheçamos as maravilhas, as delícias de 'andar na contramão' [quanto a seguir a vontade de Deus], ser sempre condizente com a Bíblia é uma tarefa árdua.

Já dizia Paulo:
'Por que o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço.
E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa.'

E ele próprio (o cara, o primeiro missionário, que enfrentou a igreja primitiva afim de pregar a todos os povos) admitiu : 'É o pecado que habita em mim...' .

E sei que todos nós somos assim.

Muitas vezes a gente pede pra nossa natureza ser diferente, roga pra si próprio, 'faz isso não, cara...' . Repete no espelho, eu não vou fazer, e já imagina tomar outra decisão, vou agir assim e não assado.

Pra quê ?!

Chega na hora e aquilo que não queríamos fazer, aquilo que nosso coração reprova, vem à tona.
E eu sei o quanto queria agir corretamente e fico me reprovando cheia de autocomiseração, autopiedade.

Daí parei pra pensar. Tenho os meus parâmetros, meus princípios bíblicos e divinos, coisas que o mundo não pode me tirar. Tenho minha fé na qual me agarro diariamente, mas, acho que tenho esquecido de ser dependente. Na pressa de ser perfeita, acabo me esquecendo de que ser errada exalta meu Grande Corretor.
Deus sabe o quanto desejo fazer o bem (e como desejo), mas a minha carne... ah, a carne... me desvia da meta vorazmente.
'Miserável homem que sou... quem me livrará do corpo da minha morte?'
E é como Paulo disse: Graças dou a Deus por Jesus Cristo, que tem misericórdia e sabe que meu coração quer fazer o bem, mas com o corpo só faço pecar.
O que não justifica o pecado, claro, afinal, a luta pela santidade é contínua e permanente.
Mas meu coração continua a ecoar:
- Salve-me de mim, Senhor!
[e me ajuda a fazer tua vontade]
Por que é como dizem: 'o Centro da Vontade de Deus é o lugar mais perigoso de se viver.'
E não pelos ataques externos, mas pelo que nós enfrentamos em nós mesmos.

"Coração, entre o bem e o mal, que distância haverá ?"
(João Alexandre)

Um comentário:

Deus é Fiel disse...

verdade, é muito difícil...só Deus sabe! louvado seja o Senhor pelas suas infinitas misericórdias!